Após polêmica com nordestinos, Bolsonaro inaugura obra na Bahia

O presidente Jair Bolsonaro inaugura nesta terça-feira (23), em Vitória da Conquista, na Bahia, o aeroporto Glauber Rocha, mas esse evento está longe de ser apenas mais um registro corriqueiro na agenda do Palácio do Planalto. Esta será a primeira viagem do chefe de Estado ao Nordeste após a polêmica surgida na sexta-feira  (19), quando, pouco antes de um café da manhã com jornalistas, tornou-se público um áudio de sua conversa informal com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, na qual utilizou o termo pejorativo “paraíba” para se referir aos governadores da região.

A inauguração estava marcada antes do incidente flagrado pela TV Brasil, que transmitiu o café da manhã. Apesar do desconforto, Bolsonaro confirmou sua participação no evento e justificou a “canelada” dizendo que jamais tentou denegrir o povo nordetino. “A Bahia é Brasil. Estou indo lá, sem problema”, declarou. “Nordeste é Brasil, é minha terra. Ando em qualquer lugar do território brasileiro”, reforçou em Brasília no domingo (21).PUBLICIDADE.

Também no domingo, o presidente usou o Twitter para dizer que a frase “de três segundos” dita a Onyx Lorenzoni foi “‘Daqueles governadores… o pior é o do Maranhão’. Nenhuma crítica ao povo nordestino, meus irmãos”, postou. A bronca de Bolsonaro, segundo suas próprias palavras, era direcionada exclusivamente ao maranhense Flavio Dino (PCdoB). 
Se para o presidente da República o assunto está superado, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), faz questão de não esquecê-lo.
Petista não vai
A inauguração do aeroporto, construído com 30% de verbas do governo estadual (70% dos recursos são federais), não terá a presença do governador. Rui Costa cancelou sua ida ao evento alegando, entre outros motivos, não concordar com recentes “agressões ao povo do Nordeste e ao povo da Bahia”. 
O governador da Bahia postou um vídeo nas redes sociais reclamando também da forma como a abertura do aeroporto foi pensada pela Prefeitura de Vitória da Conquista, comandada por Herzem Gusmão Pereira (DEM), aliado de Bolsonaro. “A medida anunciada é excluir o povo da inauguração, fazer uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo como se fosse uma convenção político-partidária”, disse Rui Costa.
Em sua primeira viagem ao Estado desde que foi eleito, Bolsonaro deve chegar a Vitória da Conquista às 11h. Lá, vai participar de uma reunião com autoridades locais que deve demorar entre 45 minutos e uma hora, acreditam os responsáveis pelo cerimonial da Presidência da República. A Prefeitura instalou um telão nas imediações do novo aeroporto para que a população da cidade do sudoeste baiano possa acompanhar a inauguração. A área tem capacidade para 3 mil pessoas. 
Ovacionado
A Prefeitura de Vitória da Conquista não acredita em protestos, assim como o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros. Ele aposta que Bolsonaro será bem recebido pela população local, e afirma que o governo não identificou potenciais manifestações. 
“Em qual cidade nosso presidente chega e não é ovacionado? Em todas. E não seria diferente na cidade onde temos apreço pelo prefeito e pelo povo”, disse o porta-voz na segunda-feira (22).
Rêgo Barros declarou também que Bolsonaro comentou que os nordestinos representam a força do povo brasileiro, “que superam adversidade de toda ordem, sendo exemplo de gente resiliente e trabalhadora”.

Comentários